SPFW.

 Nessa quarta tivemos desfile das marca: Cavalera, Gloria Coelho, Mario Queiroz, Huis Clos, Osklen e Colcci; confiram:



 A Cavalera desfilou fora da bienal, desfilando ao ar livre, no Parque do Ibirapuera, a inspiração para a coleção veio do Dia dos Mortos, uma das festas mais coloridas e tradicionais do México. Uma performance com diversos atores, carregando adereços combinados com o logo da marca, abriu alas para a apresentação. Fridas urbanas passeavam em calças justas, com bocas de sino, em denim black ou bem claro, ou com vestidos que mesclam fluidez com bordados exuberantes e bordados encorpados  de flores de ar latino. Para os meninos, uma alfaiataria cool, às vezes ampla e confortável, às vezes mais estruturada, com recortes e misturas de cores em tecidos numa alusão a estamparia e texturas de ponchos.


 A Gloria Coelho vem com um tema ótimo, ou melhor com temas ótimos, “roupas com energia de amor e intenção de cura, roupas que curam”; X-Men; “anos de 1967, 1968, 1969, 1979 e 2011”, formas retas e geométricas. A coleção vem com um destaque que  é o trabalho com couro, coqueluche da estação. Esse material tem se mostrado versátil e usável até mesmo no verão. Aqui, ele aparece tingido de diversas cores e com textura fina, seja nos vestidos e paletós com recortes inesperados ou cortado em tiras, nas saias e vestidos, cobrindo malhas justas coloridas ou bordadas de mini-cristais, resultado em um jogo de esconde-esconde colorido. E ao final, mais uma boa surpresa com os vestidos envernizados super space age, que pareciam feitos de plástico .


 A coleção da marca Mario Queiroz vem inspirada no modernismo e na liberdade arquitetônica dos anos 1930, para quem retornou ao SPFW,  a marca traz como novidade a sua assinatura também em peças femininas, inspiradas no guarda-roupa masculino mas com uma modelagem mais próxima ao corpo das meninas. Tanto para elas quanto para eles as criações são sóbrias, mesmo quando há experimentações como nos macacões com cara de duas peças ou no uso de tecidos texturizados. A cartela de cores foge do esperado para o Verão e, com inspiração no mundo das máquinas e no início do cinema, fica em cores escuras: apesar dos brancos e dos detalhes em ouro e prata, a coleção é dominada por tons de cinza.


 A Huis Clos, traz um verão mais comportado, sóbrio e minimalista, com fendas na parte de trás em saias e vestidos. Não revela muito, mas o que mostra já é suficiente para atiçar a imaginação. São bonitos os recortes nas costas e nas laterais de tops, no mesmo jogo de mostra/esconde das pernas. A cliente da marca prefere muito mais o caminho do mistério e da sutileza do que entregar tudo de graça – e de uma vez só. E para elas, a coleção está recheada de boas peças para enfrentar os dias quentes com muita elegância.


A Osklen vem com a coleção inspirada no Royal Black, “um tributo às influências e à estética da cultura negra no Brasil”, com um tema desses a coleção poderia cair no estereótipo ou na veia política e aí seria um desastre. Não foi o caso deste desfile, que apresentou uma coleção sem exageros ou escorregões. Interpretando a estética da cultura negra com seu olhar cool-sustentável e trouxe dezenas de peças que a gente tem vontade de usar já. as formas são simples e confortáveis com a silhueta ampla, uma coleção tão quanto confortável, simples; tecidos rústicos e naturais. Macacões, shorts, camisetas, calças, vestidos e saias longas, todos os básicos do guarda-roupa feminino e masculino em modelagens descomplicadas, cores neutras e tecidos leves. Sendo assim um verão chegando perto da perfeição.


A Colcci como digna marca que é veio com uma coleção inspirada nos anos 1970, um dos desfiles mais esperados pois Alessandra Ambrósio e Ashton Kutcher desfilariam, a Colcci fechou o terceiro dia com o astral lá no alto – ao entrar na passarela, o casal foi super aplaudido pela plateia, que relevou a demora para o início da apresentação. A marca surpreendeu nesta temporada mostrando uma coleção fresca e cool com fortes referências dos anos 1970, com peças desejáveis valorizadas.Os jeans masculinos foram apresentados com a barra dobrada; os paletós larguinhos surgiram com as mangas arregaçadas sobre camisas de cores contrastantes; e cordões neon foram usados como cintos. Para as meninas, looks coloridos com muitas listras, poás e desfiados estratégicos nos microshorts jeans. Destoando da cartela colorida – mas de uma maneira positiva, jardineiras jeans, as calças de cintura alta e as pernas bem amplas em todo o comprimento, não só na barra. Esperemos que a coleção que vai para as lojas reflita a atmosfera cool da passarela.

Até amanhã , R.



Nenhum comentário

Postar um comentário

 

Próximo Look © 2014 LAYOUT POR MAYARA SOUSA